Assistência Social alinha campanha contra trabalho infantil com municípios


Em Alagoas, 35 municípios irão integrar uma forte campanha contra o trabalho infantil durante o verão. Para definir os últimos detalhes da campanha, que terá início nos próximos dias, a Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (Seades) está convocando os gestores de assistência social dos municípios para um encontro de alinhamento, que acontece nesta quarta-feira (5), na sede da secretaria.

A proposta é discutir a logística da campanha e a metodologia que deverá ser adotada por técnicos municipais, que serão responsáveis por orientar e conscientizar a população sobre os malefícios que o trabalho infantil pode trazer para as crianças e adolescentes. Um dos mecanismos que será considerado é o fortalecimento da atuação do Sistema Único de Assistência Social (Suas), e sua articulação intersetorial, com parceria que desenvolvam ações com foco neste público.

A superintendente de Assistência Social da Seades, Elis Correia, reforça que a presença dos gestores neste último encontro antes do início da campanha é fundamental para que o maior número de pessoas seja atingida com a mensagem de que o trabalho infantil prejudica a aprendizagem da criança, quando não a tira da escola e a torna vulnerável em diversos aspectos, incluindo a saúde, exposição à violência, assédio sexual e esforços físicos.

“Serão 35 cidades que estarão engajadas nesta campanha pontual. Estamos nos últimos ajustes para que a campanha, que deverá ir até fevereiro, inicie o quanto antes. Com essa reunião de alinhamento, nossa expectativa é esclarecer qualquer dúvida que os técnicos municipais possam ter. Essa deverá ser uma das ações mais importantes para o enfrentamento do trabalho infantil em Alagoas”, disse.

A campanha contará com a distribuição de adesivos para carros, além de leques, folders e viseira entregues às secretarias municipais, que ficarão responsáveis pela distribuição do material. A campanha recebe apoio do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (Fetipat/AL).

Ascom – 03/12/2018