Apoiador da criação do vale-gás, Marx Beltrão destaca sanção da sanção pelo presidente Bolsonaro

Um dos apoiadores no Congresso Nacional da aprovação do chamado vale-gás, o deputado federal Marx Beltrão (PSD) disse nesta segunda-feira (22) que o “governo acertou ao sancionar o projeto de lei que institui este benefício, uma vez que milhares de famílias em Alagoas e em todo o país já não estão conseguindo mais adquirir o botijão em virtude do preço absurdo atualmente cobrado pelo gás de cozinha”.

Ainda segundo Beltrão, “o vale-gás chega em um momento em que os mais pobres estão sendo sufocados pela alta dos preços e mostra que é sim possível fazer algo para buscar saídas para a crise que afeta as famílias brasileiras, principalmente as mais carentes”.

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta segunda-feira o chamado vale-gás – um auxílio que ajuda famílias de baixa renda a comprar o botijão de gás de 13 kg. O objetivo do programa é dar um alívio ao bolso da população mais pobre já que, desde o início do ano, o preço médio do gás de cozinha já subiu quase 30% e é um dos itens que mais tem pesado na inflação.

O texto da lei que institui o auxílio “Gás dos Brasileiros” estabelece que as famílias beneficiadas terão direito, a cada bimestre, a um valor correspondente a uma parcela de, no mínimo, 50% da média do preço nacional de referência do botijão de 13 kg.

Marx Beltrão vem desde o início da tramitação do projeto se manifestando em prol de sua aprovação e sanção presidencial. Em 20 de outubro, por exemplo, Beltrão chegou a afirmar em entrevista à imprensa que “o vale gás é uma bandeira que defendo e vou defender em meus posicionamentos na Câmara dos Deputados, porque nosso trabalho é para beneficiar brasileiros e alagoanos mais humildes”.

Hoje o preço médio do botijão de gás de cozinha é de R$ 102,52, de acordo com última pesquisa semanal divulgada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Os beneficiários do chamado “Gás dos Brasileiros” deverão receber, a cada dois meses, o valor correspondente a pelo menos 50% do preço médio nacional de revenda do botijão de 13 kg.

Terão direito ao vale-gás as famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico), com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo nacional (R$ 550); e as famílias que tenham entre seus membros residentes no mesmo domicílio quem receba o benefício de prestação continuada da assistência social, o BPC, que prevê um salário mínimo mensal à pessoa com deficiência e ao idoso com 65 anos ou mais que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção nem a família.

O pagamento do voucher para compra de gás será feito preferencialmente à mulher chefe de família.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo