AMPLIAÇÃO DO DIAGNÓSTICO: Estado vai ampliar exame de RT-PCR para alagoanos com síndrome gripal

Anteriormente restrito às pessoas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o exame de RT-PCR, utilizado para diagnóstico da Covid-19 no início dos sintomas e realizado por meio da coleta de secreção da cavidade nasal, passará a ser prescrito, também, aos acometidos por Síndrome Gripal (SG). A medida, que passa a vigorar a partir desta segunda-feira (3), foi adotada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), em parceria com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems/AL).

Com a ampliação do público-alvo, haverá expansão do diagnóstico da Covid-19 no estado. Para isso, os 102 municípios alagoanos receberão kits de Swab de Nasofaringe, que se assemelham a hastes de cotonetes, utilizadas para coletar o material biológico dos usuários que compareçam aos Centros de Triagem Municipais e se enquadrem nos sintomas de Síndrome Gripal.

O material coletado deverá ser encaminhado pelas Secretarias Municipais de Saúde ao Laboratório Central de Alagoas (Lacen/AL), habilitado para realizar o exame de RT-PCR. A coleta, no entanto, deve ocorrer entre o terceiro e o sétimo dia após o início dos sintomas da Síndrome Gripal, sendo realizada nas duas narinas, porém com um único Swab, conforme especifica portaria do Ministério da Saúde (MS).

“É necessário que seja seguida a definição de caso para Síndrome Gripal, onde o indivíduo apresente quadro respiratório agudo, seguido por, pelo menos, dois outros sintomas como calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos ou gustativos. Na ausência de outro diagnóstico específico, deve ser considerada obstrução nasal no caso das crianças, e síncope, confusão mental, sonolência excessiva, irritabilidade e inapetência em se tratando dos idosos”, explicou o gerente do Lacen/AL, Anderson Brandão.

Brandão acrescenta que, na suspeita de Covid-19, a febre pode estar ausente, mas o paciente pode apresentar um quadro de diarreia, que também deve ser considerado pelo profissional triador e prescritor do RT-PCR. “Já no caso dos usuários que estejam fora do prazo adequado para a RT-PCR, ou seja, a partir do 8º dia do início dos sintomas, e que seja profissional de saúde ou da segurança pública, deverá ter colhida uma amostra de sangue venoso para a realização de ensaio por Eletroquimioluminescência (ECLIA), que também se aplica aos casos graves hospitalizados”, destacou o gerente do Lacen/AL.

Acondicionamento e encaminhamento – Anderson Brandão explica que as amostras de secreção de nasofaringe não podem ser congeladas e devem ser mantidas em refrigeração, com temperatura entre 2°C e 8°C. A amostra, segundo ele, deve ser enviada ao Lacen/AL preferencialmente no mesmo dia da coleta, mas pode ser recebida no prazo máximo de 72 horas a partir da coleta, desde que armazenada de forma adequada.

“É importante ressaltar que o material colhido pelos municípios, seja a secreção de nasofaringe ou o sangue venoso, deverão ser cadastrados no GAL [Gerenciador de Ambiente Laboratorial]. Ao enviar as amostras para o Lacen/AL, é necessário encaminhar, também, a requisição do GAL, contendo número da notificação do caso nos programas e-SUS Notifica ou SIVEP-Gripe”, orientou o gerente do Lacen/AL.

Avanço – A ampliação do público-alvo para a realização do exame RT-PCR mostra um avanço no Programa Estadual de Testagem para a Covid-19, de acordo com o secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres. “Com esta medida, teremos um retrato fidedigno da curva de contágio do coronavírus em Alagoas, uma vez que, ao contrário do Teste Rápido, que deve ser feito a partir do oitavo dia do início dos sintomas, o RT-PCR deve ocorrer entre o terceiro e sétimo dia”, evidenciou.

Ayres informou que as Secretarias Municipais de Saúde devem retirar no Lacen/AL os kits de insumos enviados pelo Ministério da Saúde para a coleta de secreção de nasofaringe, compostos por swabs (hastes de cotonete) e tubos contendo meio de transporte viral. “A cota do material, já informada aos municípios por meio de Nota Técnica Conjunta da Sesau e do Cosems/AL, deve ser retirada de segunda a sexta-feira, entre as 10h e 17h. Com relação aos insumos para a coleta de sangue venoso, fica a cargo das gestões municipais”, enfatizou Ayres.




Botão Voltar ao topo