Alagoas alcança o 1º lugar no ranking de transparência de gastos com a Covid-19

O Estado de Alagoas obteve pontuação máxima no ranking da ONG Transparência Internacional Brasil, divulgado nesta terça-feira (1º), que avalia a transparência no uso dos recursos emergenciais para o combate à pandemia do novo coronavírus. Com 100 pontos, Alagoas divide o primeiro lugar da lista com o Ceará, Espírito Santo e Rondônia. Clique aqui para ver o resultado.

O ranking estadual avalia detalhadamente, desde o mês de maio, a forma com que os portais da transparência dos 26 estados e do Distrito Federal disponibilizam informações sobre as contratações emergenciais durante a pandemia. Nessa 4ª edição, passaram a ser contemplados também doações, programas de estímulo econômico – como linhas de crédito, isenção de tributos, etc. – e medidas de proteção social.

A controladora-geral do Estado, Maria Clara Bugarim, destaca que esse resultado é um reconhecimento ao esforço coletivo empenhado pelas equipes do Governo do Estado para prestar contas com total transparência à sociedade. “A excelente performance no ranking demonstra o trabalho de todos juntos. Vamos continuar empenhados para poder sempre colocar Alagoas nas melhores colocações. Essa é a determinação do governador Renan Filho e continuamos firmes perseguindo esse objetivo”, disse.

No primeiro ranking, divulgado no fim de maio, Alagoas ocupava a 19ª posição, com 51,9 pontos e classificação considerada Regular. Na segunda edição, publicada no final de junho, saltou para o 9º lugar com 88,6 pontos, conseguindo ingressar no rol dos estados com resultado Ótimo. Na avaliação do fim de julho, subiu para 98,7 pontos e alcançou o 4º lugar. Agora, o estado cravou a excelência ao conseguir a pontuação máxima.

Metodologia

As cinco dimensões de análise – Contratações Emergenciais; Legislação; Doações; Medidas de estímulo econômico e proteção social; e Controle Social – se dividem em categorias formadas por um total de 46 itens, que compõem uma avaliação bastante completa. O cálculo da nota final considera pesos diferentes para as dimensões. A nota máxima é 100 pontos. Nesta edição, o estado com menor nota obteve 40,5 pontos.

As informações são checadas pela ONG em portais dedicados às contratações emergenciais, portais oficiais dos governos, portais da transparência, portais de compras, portais de dados abertos, portais dedicados à Covid-19 e redes sociais – Facebook, Twitter e Instagram.




Botão Voltar ao topo