AGOSTO LILÁS: Jó Pereira cobra ampliação da participação feminina na política

O “Agosto Lilás”, mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher, foi tema do pronunciamento da deputada Jó Pereira (MDB) durante a sessão plenária desta terça-feira, 4, na Assembleia Legislativa de Alagoas. A parlamentar defendeu a necessidade de se construir políticas públicas que combatam a violência contra as mulheres, e de uma mudança cultural para aumentar a participação feminina na política. Jó Pereira destacou que o período de quarentena, estabelecido para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus, trouxe como uma de suas consequências o aumento nos casos de agressões contra as mulheres.

“Durante esse mês vários assuntos serão abordados nesta Casa, mas considero um de extrema importância: a necessidade urgente de uma mudança cultural”, disse a parlamentar. “Precisamos dar um basta no exercício da liderança que toma decisões e olhar para a pauta da mulher com atenção, carinho e com a prioridade que merece. Muitas dessas lideranças consideram nossos pleitos mimimi de mulher”, argumenta Jó Pereira, acrescentando que esse tipo de atitude não ajuda no combate a violência contra a mulher. “E essa mudança cultural só vai acontecer com a mulher assumindo espaços de liderança, sendo protagonista”, prosseguiu.

Jó Pereira lembra que, embora algumas alternativas tenham sido criadas para permitir o aumento da participação feminina na política, a exemplo das cotas partidárias, tal avanço não ocorre porque, na prática, muitas vezes é negado às mulheres o exercício de espaços de liderança.

“Quantas mulheres nós temos líderes dos seus partidos, das suas bancadas? Quantas mulheres são presidentes de partido, presidentes das comissões? Aqui na Casa, por exemplo, sou presidente da Comissão da Mulher, mas, nas comissões mais representativas, nenhuma tem uma mulher presidente”, questionou Jó, observando que a situação se repete no Congresso Nacional. “Embora, recentemente, tivemos uma conquista, uma luz no sentido da mudança, com a senadora Simone Tebet na presidência da Comissão de Constituição e Justiça”, destacou, acrescentando, por fim, que espera durante esse mês, “aqui, assim como nas demais casas legislativas do país, falas no sentido de garantir nossos direitos e reforçar a importância de equilibrar, entre homens e mulheres, a participação política”.




Botão Voltar ao topo