CORONAVÍRUS E CALAMIDADE NA EDUCAÇÃO: Marx vai lutar por adiamento do ENEN; Assista!

Em vídeo gravado e publicado em suas redes sociais nesta quarta-feira (20), o deputado federal Marx Beltrão defendeu o adiamento da data de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Diante da pandemia da Covid-19, as aulas estão suspensas em todo o país, afetando do mesmo modo os estudantes do último ano do ensino médio que prestariam o Exame em novembro próximo. Da mesma maneira, os governos municipais, estaduais, o federal e a rede particular ainda puderam definiram um cronograma prévio de volta as aulas.

“É preciso adiar pra não aumentar ainda mais as injustiças. É preciso ter um plano de recuperação antes de termos uma nova data. Todos os estudantes estão prejudicados, com conteúdo atrasado, mas principalmente os mais pobres, com menos acesso e recursos em casa, saem perdendo ainda mais nessa disputa por uma vaga na universidade. Há diversas iniciativas no Congresso para adiar a prova. Mas acredito que o diálogo com o Executivo pode ser mais rápido e eficiente”, afirmou Marx Beltrão.

A suspensão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio em razão do estado de calamidade pública, provocado pela pandemia do coronavírus, foi aprovada nesta terça-feira (19) no Plenário virtual do Senado, por 75 votos a 1. A matéria segue agora para análise da Câmara dos Deputados. “Na Câmara vamos buscar sensibilizar o governo e vamos trabalhar por este adiamento, acreditando que ele é o melhor para os estudantes. Precisamos dar condições para que os estudantes se preparem para a prova, e a calamidade pública motivada pelo coronavírus está impedindo esta preparação”, disse Marx Beltrão.

A proposta (PL 1.277/2020) da senadora Daniella Ribeiro (PP-PB) aprovada pelo Senado Federal prevê que, em casos de reconhecimento de estado de calamidade pelo Congresso Nacional ou de comprometimento do regular funcionamento das instituições de ensino do país, seja prorrogada automaticamente a aplicação das provas, exames e demais atividades de seleção para acesso ao ensino superior. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Enem, marcou a aplicação do exame impresso para os dias 1º e 8 de novembro, e a versão digital para 22 e 29 de novembro.

View this post on Instagram

Em vídeo gravado e publicado em suas redes sociais nesta quarta-feira (20), o deputado federal Marx Beltrão defendeu o adiamento da data de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Diante da pandemia da Covid-19, as aulas estão suspensas em todo o país, afetando do mesmo modo os estudantes do último ano do ensino médio que prestariam o Exame em novembro próximo. Da mesma maneira, os governos municipais, estaduais, o federal e a rede particular ainda puderam definiram um cronograma prévio de volta as aulas. “É preciso adiar pra não aumentar ainda mais as injustiças. É preciso ter um plano de recuperação antes de termos uma nova data. Todos os estudantes estão prejudicados, com conteúdo atrasado, mas principalmente os mais pobres, com menos acesso e recursos em casa, saem perdendo ainda mais nessa disputa por uma vaga na universidade. Há diversas iniciativas no Congresso para adiar a prova. Mas acredito que o diálogo com o Executivo pode ser mais rápido e eficiente”, afirmou Marx Beltrão. A suspensão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio em razão do estado de calamidade pública, provocado pela pandemia do coronavírus, foi aprovada nesta terça-feira (19) no Plenário virtual do Senado, por 75 votos a 1. A matéria segue agora para análise da Câmara dos Deputados. “Na Câmara vamos buscar sensibilizar o governo e vamos trabalhar por este adiamento, acreditando que ele é o melhor para os estudantes. Precisamos dar condições para que os estudantes se preparem para a prova, e a calamidade pública motivada pelo coronavírus está impedindo esta preparação”, disse Marx Beltrão. A proposta (PL 1.277/2020) da senadora Daniella Ribeiro (PP-PB) aprovada pelo Senado Federal prevê que, em casos de reconhecimento de estado de calamidade pelo Congresso Nacional ou de comprometimento do regular funcionamento das instituições de ensino do país, seja prorrogada automaticamente a aplicação das provas, exames e demais atividades de seleção para acesso ao ensino superior.

A post shared by Repórter Maceió (@reportermaceio.com.br) on


Botão Voltar ao topo
Fechar