Apoio do centrão a Bolsonaro desidrata Maia e planos para presidência da Câmara

A equipe do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) atraiu o centrão para o Palácio do Planalto e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia  (DEM_RJ), “sentiu” a manobra segundo é comentado nos bastidores.

Por causa disso, Maia acendeu o sinal amarelo para outra articulação importante: as eleições para a presidência da Casa no ano que vem. Já que Bolsonaro se aproximou do líder do PP na Câmara, Arthur Lira (AL). O alagoano lidera um dos blocos do centrão, que conta com 220 parlamentares.

A leitura no Parlamento era de que antes Maia deliberava sobre a pauta na Casa com três políticos – o líder da maioria, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB); o líder do PL, Wellington Roberto (PB); e Lira. No entanto, com a aproximação de Bolsonaro, o jogo virou e muitos já enxergam que o atual presidente está desidratado.

Vários líderes de partidos do centrão acreditam que é mais vantajoso ficar com Lira, uma vez que há o que negociar.


Botão Voltar ao topo
Fechar