Gabinete Civil coordena visita para verificar qualidade da água em povos quilombolas

Como parte da interlocução com os povos tradicionais de Alagoas na preservação das garantias e dos direitos de acesso a políticas públicas do Governo do Estado, a Gerência de Articulação Social do Gabinete Civil coordenou, esta semana, uma visita de técnicos da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) a três comunidades quilombolas no município de Santana do Mundaú, a 105 km de Maceió, para verificar a qualidade da água consumida pelos povos.

As comunidades quilombolas contempladas pela visita técnica foram Jussara, Mariana e Filuz, atendendo à solicitação feita pelo Instituto Irmãos Quilombolas à Gerência de Articulação Social.  O pedido ocorreu após constatação de focos estranhos na água consumida pelas comunidades.

A intenção é envolver a Semarh para evitar a vulnerabilidade da população e elaborar um programa preventivo de conservação das nascentes, cacimbas e poços usados por essas comunidades e evitar focos de doenças causadas pela má conservação dos recursos hídricos disponíveis nas localidades.

O engenheiro ambiental e sanitarista da Semarh, Alberonaldo Lima Alves, disse que vai avaliar a qualidade da água. Ele orientou os representantes das três comunidades quilombolas sobre os procedimentos para a preservação  da água consumida nas nascentes e nas cacimbas.

“Orientamos as pessoas da comunidade para observar a qualidade da água, cuidar do acesso às nascentes, e cercar as cacimbas que estão sendo usadas. Incentivamos a educação ambiental junto, aos moradores, para evitar a proliferação de pocilgas perto da captação de água, conscientizando para que eles não joguem dejetos perto desses mananciais, cacimbas e poços”, recomendou Alberonaldo, que esteve acompanhado da também técnica da Semarh Maria Domêmica Didier.

“Agradecemos as orientações e a atenção do governo do Estado e vamos conscientizar nossas comunidades sobre a prevenção necessária de nossos recursos hídricos”, disse Cícera Vital, presidente do Instituto Irmãos Quilombolas.

Os técnicos fizeram um relatório minucioso e deverão voltar em breve às localidades para execução de procedimentos preventivos.

“Levamos a equipe da Semarh para tratar da questão da análise e tratamento da água e, com isso, melhorar a qualidade dos recursos hídricos dessa população. Essa ação faz parte da garantia dos direitos das comunidades remanescentes de quilombos, que tem sido uma das prioridades do Governo do Estado”, afirmou a coordenadora da Gerência de Articulação Social do Gabinete Civil, Edenilsa Lima.

13/02/2020