17 de Julho de 1997, 20 anos da queda de Suruagy


O blog é, obviamente, sobre esportes, bem o sei. Mas, porém contudo, no entanto… como meu querido amigo Vitor Cansanção (proprietário do portal) adora uma parceria e é um entusiasta da chamada convergência de mídias, abro parêntese aqui para registrar uma matéria de nossa lavra produzida em outro veículo para repercutir entre os leitores deste espaço.

Nesta segunda (17) faz 20 anos do levante popular que derrubou do cargo de governador do Estado de Alagoas o até então mais popular líder político da história recente destas bandas: Divaldo Suruagy.

Portanto, agradeço a liberdade para fazer o registro desta efeméride tão importante, que mexeu direta ou indiretamente com a vida de milhares de alagoanos naquele fatídico 17 de julho de 1997.

Imagens da revolta popular que abalou Alagoas em 17 de julho de 1997

O material está publicado na íntegra na edição deste fim de semana no Jornal Tribuna Independente, distribuído em espaço de 8 páginas, com revelações sobre o episódio que, certamente, muita gente ainda não sabe.

Vale conferir!

15/07/2017

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorApós 10 anos, ninguém foi punido por acidente da TAM em Congonhas
Próximo artigoTribunal de Justiça confirma novamente condenação de Renilde Bulhões ex-prefeita de Santana do Ipanema
Wellington Santos
Wellington Santos milita no jornalismo desde 1994, quando iniciou a carreira como revisor do extinto O JORNAL. Daí formou-se na área pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), e teve passagens como repórter e editor em jornais como Gazeta de Alagoas (por duas vezes), A Notícia e Primeira Edição. Atualmente atua como repórter no Jornal Tribuna Independente e exerce ainda a função de assessor de Comunicação desde 2003 no Governo do Estado. Como repórter esportivo, foi correspondente e colaborou para o Portal nacional Lance! e rádios do eixo Sul/Sudeste, além de colaborar para o Canal Esporte Interativo. Como reconhecimento ao trabalho desenvolvido, foi premiado duas vezes como repórter esportivo no Prêmio Braskem de Jornalismo em 2013/2014, e em 2016 com a melhor matéria no Jornalismo Impresso na editoria Saúde. Em 2012, foi à final do Prêmio Nacional Abdias Nascimento, realizado no Rio de Janeiro, com reportagem sobre os 100 anos do Quebra de Xangô em Alagoas.