Programa Bolsa Família aumenta cobertura para mais de 17 mil beneficiários em Alagoas


Número de famílias incluídas no programa volta a crescer devido ao pente-fino realizado pelo governo federal

Repasse o MDS chega a R$73.685.866,00 Divulgação MDS


O Programa Bolsa Família vai beneficiar 395.362 famílias alagoanas em situação de vulnerabilidade social no mês de agosto, o que representa um repasse de R$73.685.866,00 do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) para o estado de Alagoas.

O número de beneficiários é superior ao mês anterior, quando a coordenação do programa em Alagoas registrou 377.698 famílias beneficiárias e o menor repasse para o programa do mês de 2017. Segundo a coordenadora do programa no Estado, Maria José Cardoso, os processos de revisão e averiguação cadastral permitiram a inclusão de 17.664 famílias em agosto.

A notícia continua após a publicidade!

“Isso nos mostra o quão essencial é o pente-fino realizado pelo governo federal e sobretudo, quão fundamental é que as famílias mantenham os dados atualizados e compareçam as coordenações municipais quando convocadas”, explicou.

As ações de qualificação do CadÚnico implementadas pelo Governo Federal envolvem três processos: a revisão cadastral, a averiguação cadastral e a exclusão lógica. Este ano, a revisão de dados agrega as famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família (PBF), famílias contempladas pela Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), beneficiários do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC), beneficiárias do Programa Bolsa Verde; e famílias com dados desatualizados, mesmo que não sejam beneficiárias de programas sociais.

Levando em consideração o repasse para o mês de agosto, o repasse para o Programa Bolsa Família em Alagoas chega a R$582.711.567.

O programa

O Bolsa Família é um programa de transferência direta criado para garantir o acesso à educação e à saúde das famílias em situação de pobreza e extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 85,00 ou com renda per capita entre R$ 85,01 e R$ 170 mensais, desde que tenham em sua composição crianças ou adolescentes de 0 a 17 anos. Nesse caso, é necessário que a criança tenha matrícula escolar e apresente frequência mínima de 75% e 85% respectivamente a cada bimestre.

Ascom