Educação beneficia 2.400 alagoanas com cursos profissionalizantes


Desde abril deste ano, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) beneficia 2.400 alagoanas com cursos profissionalizantes. A medida é possível graças ao ‘Mulheres Mil’, programa do Governo Federal que visa promover a elevação da escolaridade e acesso à educação profissional de mulheres com baixa renda no Norte e Nordeste.

Este é o primeiro ano que a Seduc oferta o programa – até então, o Instituto Federal de Alagoas (Ifal) era o único a oferecê-lo no Estado – e conta com 35 turmas espalhadas nas 13 Gerências Regionais de Educação (Geres).

A notícia continua após a publicidade!

“Trata-se de um programa com um forte viés social, que incentiva a mulher a empreender e buscar sua inserção profissional com cursos de formação inicial e continuada,de 160 a 240 horas, que possuem alto poder de empregabilidade”, afirma o superintendente de Políticas Educacionais da Seduc, Ricardo Lisboa.

Ele conta que o público contemplado pelo programa são mulheres a partir dos 18 anos inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e em benefícios como o Bolsa Família.

Empenho

Esta semana, a Seduc iniciou a distribuição de kits para alunas do programa em Maceió. A primeira entrega ocorreu a Escola Estadual José Correia da Silva Titara, no Cepa.

Segundo o diretor Ernesto Simões, oito cursos são ofertados na instituição: Bombeiro Civil, Cuidador de Idoso, Operador de Caixa, Operador de Supermercado, Artesanato e Bordado Manual, Florista, Vitrinista e Recreador. “Temos 120 alunas estudando no turno vespertino e é uma satisfação ver como são empenhadas”, conta o gestor.

Uma destas alunas é Maria Elza Dantas, do curso de Recreador. Ela diz que a formação lhe proporcionou uma experiência enriquecedora. “É um curso que lhe dá a possibilidade de trabalhar com vários públicos, da criança ao idoso. Além disso, nos ajuda também com as nossas famílias. Recomendo para qualquer um e não vejo a hora de fazer outro curso”, ressalta.

Teoria e prática

Os cursos do Mulheres Mil também propiciaram uma base a profissionais que tinham uma vivência prática, mas não teórica de suas atividades. É o caso de Simone Alves, aluna do curso de Cuidador de Idosos.

“Sempre gostei de cuidar de idosos, pois aos 15 anos, já cuidava do meu avô. Tenho cinco anos de experiência nesta área, mas nunca tinha tido a parte teórica. Quando soube que teria esse curso aqui no Cepa, e ainda por cima de graça, fiz minha inscrição na hora. Um curso deste, normalmente, custa entre R$ 400 e R$ 500”, estima.

Além de Simone, outras alunas já vivenciam a realidade profissional de seus cursos. A professora Liliane Mota, que leciona no curso de Vitrinista da Escola José Correia da Silva Titara, está com um projeto especial com suas alunas. “Estamos trabalhando em uma proposta de vitrinismo para dois shoppings aqui de Maceió”, adianta.

Entrega

As entregas aconteceram ainda na capital, no Centro de Educação Profissional e Tecnológica Aurélio Buarque de Holanda, na Colina dos Eucaliptos, e no Presídio Feminino Santa Luzia.

16/07/2017

(Visited 29 times, 1 visits today)